02 fevereiro 2009

Maria

Viagem comprida demais. 103 anos. Artrose, cegueira e nenhum esquecimento.

9 comentários:

Hélio Jorge Cordeiro disse...

Má, ria. Muito bom!

Moacy Cirne disse...

Oi, há um poema seu no Balaio.
Abraços.

Gabriela Kimura disse...

Rubens! Saudades daqui. É bom saber que a casa, embora com os corredores cada vez mais estreitos, continua com as portas sempre abertas. Um beijo.

Cláudio B. Carlos (CC) disse...

Muito bom!

Nenhum poema seu no Balaio, hehehehe.

Cláudio B. Carlos (CC) disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Alex Pinheiro disse...

Nenhum esquecimento aos 103?! Fudeu!
Acredito que morremos pela memória; sim, quando a cabeça acumula muita memória o corpo reflete canseira e aí... morremos.

Abraços e breves invenções!

Cármen Neves disse...

Fez-me pensar... Um abraço, meu amigo.

nowaitwait disse...

rubens, mais um maravilhoso. adoro esses curtinhos, dizem tanto.

sempre venho aqui, mas faz tempo que não comento. suas palavras bastam.

abraços.

Cláudia disse...

muito tempo