23 setembro 2008


envolto

todo sombra

todo ombro

e peso do mundo


meu corpo

aglomera-se

cifrado

chifrado

pelo azar

e pela

maneira


descarinhosa


com que o destino

tem se portado

neste seu

filho-abismo
Ilustração: Salvador Dali

9 comentários:

nowaitwait disse...

"descarinhosa" essas palavra tem sempre um peso muito grande. gostei bastante desse.

*

as mulheres meio petulantes meio frágeis ainda vão dominar o mundo.

a começar pelos corações.

(ou não. rs)

Ricardo Valente disse...

Muito bom. Maduro! Abração.

isabel mendes ferreira disse...

carinhosamente. passo. em desvelo. de assim vê.lo. filho da alma.


belo.




beijo.

maria disse...

passei para deixar um bejinho e para te ler, mais uma vez.

Alex Pinheiro disse...

Nem o tempo todo estamos abismo,,,
Mas que é bem gostoso desejar mal a quem nos fez mal,,, Ah, isso é ótimo! rs

Abraços e recuperadas invenções!

douglas D. disse...

23 de setembro: meu aniversário.
o que vc escreveu diz muito de mim.
mais uma vez!

Suzana Mafra disse...

humm... belíssimo.

Obrigada pela visita ao Borboletras.

Abraço

PT na Prefeitura de Brusque, finalmente

Fabrício Brandão disse...

Filhos-abismos que agregam em si contradições e virtudes: estes somos nós.

Abraços, Rubens!

Aline Gallina disse...

este rosto derrotado, colado ao solo, feito um pouco de gente em um pouco de nada. É incrível... Salvador! Dali.

Beijo.