08 maio 2008

...

sem voz
vago

osso


ouço a vida
ajoelho o choro

e sigo

...

8 comentários:

Fernando Rozano disse...

a essencialidade em toda a sua criatividade. extraordinário! abraços.

Camila Pimenta disse...

Lindo, ótimo, quase perfeito... Bom exemplo de ser humando Poeta... "osso só"... tocante...

beijos Poeta

isabel mendes ferreira disse...

belo este choro.



.



muittttttttttttttttto.

Beto Matos disse...

Tens aqui uma casa de paragens, uma casa de letras únicas e sentimentos que afloram à vista.
Bravo, poeta!

Olga disse...

lindo.

regina disse...

Não tá quase perfeito: tá perfeito!
Continuo com inveja, Rubens!
Vou olhar a vida e me espantar, como na canção, daí quem sabe faço um, também...
beijo dominical.

Í.ta** disse...

um grito lindo.

perfeito!

em silêncio também...

Amla disse...

e cada vez apetece mais parar nesta casa de paragens. e aragens boas.
de facto só podemos "seguir em frente" "ajoelhando o choro". k verso espantoso construíste com 2 palavras.
Bjs
Luz e paz contigo