25 março 2008

Jardim

as flores sombram os pardais

os pardais florescem pétalas

as pétalas nuveiam-se íntegras

sobre os olhos-quase do poeta
© Rubens da Cunha

17 comentários:

"(...)" disse...

vixi! Barroseou de vez!!!!!!!!!!

Ilaine disse...

Bom dia, poeta!

Este poema tem movimento e as imagens dançam aos meus olhos. Muito lindo!

bj
Ilaine

felipedamo disse...

é, voltam os traços de manoel de barros, misturando coisa e gente e bicho e letras...

Enzo Potel disse...

acho que o problema está na "Santa" e Bela Catarina, né?!
ou a arte é o problema itinerante? kkkk
abraçoon

Anônimo disse...

Um misto de alegria que contagia
dentro da magia
...

Um presente do poeta pra meus olhos e ouvidos.

bjs, Gisele
www.inventandoagentesai.blogspot.com

Andréa Motta disse...

Muito bom!!
Rubens querido amigo, recebi ontem tua encomenda.Lerei durante o final de semana.Ontem estive com a Glória, que lhe enviou um abraço.
Muito obrigada pelo livro!!
Beijos com carinho.
Andréa

Í.ta** disse...

sensível. muito bom!

também gosto de não pensar na utilidade das coisas :) mas há momentos em que, como vc viu no texto, há necessidade.

abraços,
Í.ta**

Alessandra disse...

e eu estou desanuviando-me aqui! Uma beleza!
Beijos!

vendaval com poesias disse...

Olá meu querido amigo


Saudades de ler seus versos, e veja que surpresa
encantadora,hoje
brinda-nos
com palavras (sim meio bucólicas) jardim, pardais pétalas...
Rubens, vamos fechar os olhos:
percebe uma brisa?
cheiros, intensos de flores
recém-colhidas, rosas recém-
desnudadas,pétalas meio com orvalhos...pardais ecoando seus susssurros,nossa que coisa mais linda esse sentir...


nossa, me perdoe, mas bem sabe como gosto além de ler sentir as poesias.

abraços meu Caro, com pedidos
de desculpas(por favor as aceite) pela minha ausência,(motivos nobres, arrumando as "gavetas")

Fernando Rozano disse...

poema de escrita essencial e de uma riqueza fantástica. abraços.

Lorreine Beatrice disse...

Olá, Rubens!
Recebi Aço e Nada, muito obrigada.
Já iniciei a leitura e comento mais adiante.
Belo poema.

Abraços

*Relicário já está a caminho também.

isabel mendes ferreira disse...

os teus olhos especiais.!!!!!









que não conhecem a sombra. antes a imensa claridade.

a do teu talento.

débora Piacesi disse...

Então, como vc disse, o Manoel é o Bernardo de todo mundo... mas vc introjetou a lição como se fora inaugurada a corrente manoelista da poética... Eu mimiqueio... vc pardaliza-se em imagens como árvores e versos de asas... gosto muito mesmo.

eremita disse...

e é neste sempre olhar menino, nesta liberdade de tudo misturar já que tudo é uma coisa só, que a poesia acontece assim.
Amigo, seu texto chegou e sim, como o planeta é muito pequeno ainda só é dia 3 de Abril...
Que dia escolheria cada um de nós se o pudesse fazer?
Fraterno abraço

Jacinta disse...

Pela via Fernando Rozano avisto esse mar azul, de pura beleza abrigando o seu blog.
Gosto desse poema jardim que faz o permeio na vida do poeta. Vou continuar por aqui mais um pouco.
Um abraço
Jacinta

adam brown disse...

Hello I just entered before I have to leave to the airport, it's been very nice to meet you, if you want here is the site I told you about where I type some stuff and make good money (I work from home): here it is

Sandra Fonseca disse...

Belo momento... E o seu blog é excelente!
Um abraço.