29 agosto 2007

Gloria


vento

acalanto



tempo de proferir destinos

a palavra fere

lâmina na lama



pele sendo futura cicatriz



hoje

reconheço escombros



gloria ao Pai por tal sabedoria






Rubens da Cunha

Ilustração: Isabel Rolim


9 comentários:

felipe disse...

poxa, Rubens, tem uns textos aqui tão carregados de sentimento que a gente fica até sem ter o que falar.... só estou escrevendo mesmo pra registrar que estive por aqui... avise assim que sair a data do próximo Palavras Acústicas.

douglas D. disse...

a sabedoria tua
encorpada em poesia
chega às entranhas
e deixa tudo diferente
...
outros ares
outras formas
outros sonhos
e solitudes.
abs!

Natália Nunes disse...

"pele sendo futura cicatriz".

Confesso q estanquei nessa parte, me despertou um... um... uma compreensão q não me foi revelada, conscientemente.

Camila Lemos Barata disse...

Glória ao tempo, que é paragem de aprender.

Beijos!

[jb] disse...

poderoso, meu caro, poderoso

eremita disse...

Não vou comnetar, porque não sei. Mas não posso deixar de destacar dois versos:
«pele sendo futura cicatriz»
e
«gloria ao Pai por tal sabedoria»
Há uma coisa para si no meu blogue.
Fraterno abraço

Andréa Motta disse...

Simplesmente fantástico! Aplaudo em pé.
bom final de semana,
beijos
Andréa

Fabio Rocha disse...

Nossa, imagem e poema perfeitos... Das melhores coisas que essas retinas fatigadas já viram! :)

Abração

Míriam disse...

Ai, que lindeza deve ser você! Parabéns por esse jorro delicioso de palavras e sentidos!