17 abril 2007

o barulho fere o concreto

lâmina imparcial
sobre a cidade

o barulho faz eclipses
sobre o muro-homem

o murcho homem
que incapaz de silenciar

jumenta-se



® Rubens da Cunha

6 comentários:

maria disse...

verdade.sim

Valéria disse...

dói quando me olho...
um beijo

Fabio Rocha disse...

Coincidentemente poetei sobre o silêncio também nesta data. :) Mas gostei mais do seu... :)) Abração

Ivã Coelho disse...

Jumentos em seus tormentos, homens não são gente.

Prazer em voltar aqui, poeta.

Abçs

casoual disse...

Estou chegando aqui não tarda, com mais tempo para continuar a surpreender-me com a tua cartografia.
Depois direi mais qualquer coisa.
Abraços.

*Caroline Schneider* disse...

Encontrei-te na comunidade da HH... gostei do comentário e acabei parando aqui. Gostei dos teus escritos, tens paixão na escrita. E gostei também do que escrevestes no teu perfil do orkut... "não sei bem quem sou, só sei quem não sou"... fiquei a pensar sobre isso... verdade pura! Beijocas estaladas pra ti! Voltarei mais vezes aqui