03 janeiro 2006

retalho surreal de um pecado


pedaços de pecado
cimentam as horas

desvelo o véu
do respeito
até sangrar-me
céu e vulva

a vida acometida
em aliteração
promete o gozo baixo



® Rubens da Cunha
Ilustração: Décio Soncini

5 comentários:

Cláudio B. Carlos (CC) disse...

Olá Rubens!

Belo poema.

Mendes Ferreira disse...

aqui a vida não é pecado mas gozo. e do melhor. e do maior. e do mais belo.


beijo.

tania disse...

Rubens, que retalho mais lindo este.O surrealismo dá o encanto maior à sexualidade que ele transmite em todas as suas palavras.
Parabéns! Estás a cada dia mais e mais POETA!!!
beijos,Tania
Apareça nos plátanos,tá?

Dona Estultícia disse...

"a vida acometida
em aliteração
promete o gozo baixo"

Isso é de dar inveja. Das boas! Um beijo.

Lucimar Justino disse...

Caro Rubens,

que em 2006 possamos sim fazer florescer muito mais a poesia!!!

Paz, amor, sucesso e prosperidade para todos nós e vamos que vamos!!!

Um poema rasgando a carne, o comodismo, o medo, a timidez e se perdendo de sua órbita para mergulhar no espaço das almas cibernéticas que vagam por aí.

Abraços!!!