02 setembro 2005

Janela e Culpa

?

O lado interno da casa grita sol.

Mas como apagar
os bolores que covardam as paredes,
a nunca firmeza do piso,
o teto envergado

se a vida lhe é um mênstruo de virgem:
escorrega perna abaixo
e não traz alívio:
falta janela e culpa.

?

3 comentários:

marcelo disse...

...e as paredes e janelas desta Casa de Paragens escorrem poesia.
grande abraço, poeta!

www.caixaderessonancia.blogger.com.br disse...

ebulem correntezas parede acima, atingindo a lampada onde há muito nao constroem hidrelétricas.

[jb]

Mme. A. disse...

"se a vida lhe é um mênstruo de virgem:
escorrega perna abaixo
e não traz alívio:
falta janela e culpa."


Não.

Se a vida lhe é desta forma, falta janela e sobra culpa.

A culpa sempre sobra, a culpa sempre aparece onde não deveria estar, a culpa sempre nos é enfiada goela abaixo a cada segundo de nossas vidas.

O que eu aprendi é a fechar a boca. Os olhos. Os ouvidos. O corpo inteiro para o que não é meu, para o que não me deixa voar.

E ponto final.

:-D

(Saudades, escreva...)