05 setembro 2005

Inveja - Litania IV




Antes de sermos dor somos cavalo:
galope nos canteiros da inocência.
Arcabouço de flores consumidas
em noites de batismos e presságios.

Antes de sermos sangue somos cárcere:
verbena soterrada no desejo.
Cadafalso de culpas destiladas
assassinando peles e destinos.

Antes de sermos ar somos advento:
nascedouro de sombras indivisas
gestando despedidas em segredo.

Antes de sermos cais somos inveja:
ancoradouro tácito do olhar
sobre a face feérica dos sonhos.

® Rubens da Cunha
Livro: Visitações do Humano

Ilustração: Luiz Henrique Schwanke

5 comentários:

marcelo disse...

Beleza de soneto, Rubens. Acho que já o conhecia: "Antes de sermos dor somos cavalo" foi tema na OE, não?
Abração!

Claudio Eugenio Luz disse...

Sem dúvida, excelente construção. Inveja tracando em sonhos. Bela ilustração.

Mme. A. disse...

Não preciso dizer o quanto gosto das coisas que vc escreve. (Ainda que goste mais ainda dos apelidos que vc anda tendo...)

Vou ler seu blog inteiro novamente. Hoje a liberdade me pegou de surpresa e me bateu no rosto, espancou as costas, beijou minha boca. Hoje a liberdade me fez ver que na verdade, sempre fui tudo o que sonhei, que as coisas que pensei realmente eram do jeito que eu achava, enfim, que sou/estou/tenho tudo o que preciso, sem na verdade precisar de nada.

É bom sentir a liberdade vindo do lado de fora, sem ter que sofrer com algum processo, sem ter que me descabelar chorando escondido noite à dentro, sem precisar da catarse sempre causada pelo sofrimento proporcionado por algum ferimento ao ego.

Estar livre é estar completo, sou mais completa porque realmente sou eu mesma.

E estou rindo que nem uma boba.

Manda seu endereço! Tenho coisas para te mandar.

Fabio Rocha disse...

Belo... Abraços

Flavio disse...

Essa sua poesia me lembra muito muito muito o estilo dos poetas do Clube da Esquina: isso é Fernando Brant, Márcio Borges, Ronaldo Bastos, purinho purinho!

Bem que o Milton Nascimento podia musicar a sua Litania para o próximo disco! hehehe

Abração!