30 janeiro 2012


hoje eu vi urubus atacando um cão morto
era a fome que eu tinha quando jovem

dentro do esôfago um bolo de desespero e saliva

havia dias em que tudo escapava
se esfarelava estômago a dentro

havia outros em que nada vazava

hoje
tudo é alimento

8 comentários:

L. Rafael Nolli disse...

Uma epifania.

Elimacuxi disse...

e todos nos tornamos abutres...

jorge vicente disse...

sempre visceral a sua Poesia, meu caro Rubens!

Muito bom!

Abraços portugueses
Jorge

Alex Pinheiro disse...

Tudo...

Ana Ribeiro disse...

Fazia tempo que não andava por estas bandas. Andei perdendo muita coisa...
Um abraço.

Colecionadora de Memórias disse...

Antes de sermos Dor somos Cavalo!
Faço minhas as tuas palavras.

Mara faturi disse...

Ahh Rubens!! o que é de lindo e intenso este poema!! me matou " a fome"
;)
Bjo

soraia disse...

Olá,
gostei muito desse blog...
Tem sintonia em cada palavra dita...
Por favor, visite meu blog também... e comente lá.
http://poemasepoesiasdasoraia.blogspot.com.br/
Abraços..