06 janeiro 2010

I

Lá fora
a fêmea morte

aqui dentro
400 gritos

no limiar
um homem nu
nauseia-se

entre
moscas e detergentes







4 comentários:

Cássio Amaral disse...

vê ver sô
só vê ver
ver só vê

p.s. a maeles está morrendo de saudade sua.

grande abraço.

Cris disse...

Me vem na mente tantas coisas... Prefiro não arriscar uma.

jorge vicente disse...

e eu não arrisco qualquer pensamento :)

poema muito bem, superando a racionalidade e bem dentro do que é mais visceral.

grande abraço
jorge

Maurélio disse...

Surreal e magnífica.
Abraços poeta