24 dezembro 2009

A Gorda Sombra


A gorda na janela tampa o sol da manhã.
Nanô, o namorado, sempre lhe pedia:
fica na janela que eu quero te ver dando sombra à minha vida.
Todos os dias, a gorda postava-se à janela e sombreava a casa.
Só que para Nanô não bastava ver sua amada de costas.
Não bastava receber dela o frescor de sua sombra.
Nanô queria possuir aquela mulher como nenhum outro poderia.
Ele queria ser aquela mulher.
Tanto era o amor, que certa manhã ensolarada, a gorda sentiu um toque diferente.
Não o costumeiro toque de Nanô.
Ele pediu calma, calma que hoje vai ser melhor.
Aos poucos, Nanô foi se encostando, se amalgamando, se fazendo a gorda.
E ela gozando, suando, não pára, não pára.
Lá fora, o sol brilhava alto.
Dentro da casa, um corpo gordoamoroso passou a iluminar as paredes, os móveis, as roupas.

E a vida ali nunca mais conheceu a noite.


Ilustração: Botero

8 comentários:

Ariadne Velasco disse...

Rubens!
Você fez o poema inspirado no quadro?

bjus

:*

Ariadne

alex pinheiro disse...

Animal!

Sem comentários... só "animal" mesmo! rs

Abraços e aromáticas invenções!

tossan® disse...

Leio sempre os seus ótimos textos que recebo. Gosto muito! Abraço

Que tua alma seja o cais que nele ancore toda a emoção, ternura e criatividade nesse Ano que se inicia! Boas Festas!

Leila Silva disse...

Rubens,

Venho desejar um feliz 2010.
Abraço

Maeles Geisler disse...

cara...(aquele palavrão)
é bom demais, sô.

adoramos ler seus textos aqui...
desejamos um ano iluminado e todo o sucesso que vc merece. saudades...
feliz ano novo!!!
beijos

intervalo disse...

Faço intervalos aki nesta casa,gosto ler teus textos,assim desejo que 2010 seja um ano de boas coisas pra você e que nos presentei com sua inspiração.Feliz Ano Novo!beijoss

jorge vicente disse...

ah que bonito, rubens!!!

grande abraço
jorge

Liza disse...

Gostei tanto que guardei no meu bauzinho, espero que não se importe.