02 dezembro 2009

Uma vida em 13 degraus - Quinto Degrau

Eu consegui me mudar para a cidade. Os bichos tinham ficado para trás. Só Ele, pequeno e cada vez mais esfolado, tinha vindo comigo. Pudesse O deixava também. Na cidade, gente demais, andanças demais. Pela primeira vez poderia, talvez, encontrar um igual, no tamanho e na fome. Encontrei um apenas Simão, irmão no tamanho. Ajudou-me um pouco, depois o afastei, queria amor, casamento, queria que eu assumisse algo que nem sei bem o que era. Menti para não matá-lo. Deveria ter feito. Se eu matasse quem primeiro me ajudou, talvez eu fosse mais homem, mais coragem.

3 comentários:

Ariadne Velasco disse...

adorei tudo aqui!

bjus

ps: passa lá no Baladas sempre que quiser!

:*

Í.ta** disse...

tá bom pra caramba!

obrigado pelas visitas frequentes ao ópio do povo, mesmo não sendo o futebol tua praia :)

tem mais ítalo calvino lá no um-sentir.

grande abraço!

Conceição disse...

Vim lendo desde o post do dia 11 de Nov.Esta escada e seus 13 degraus se sobem e se sentem fortemente. Escrita difícil na dor mas boa.
Bjs e;))