19 outubro 2009

sul do brasil. dias cinzas demais. mudei de cidade mas é como se não tivesse mudado. às vezes o silêncio estaciona dentro. e fica esperando as águas passarem. tem medo de pegar gripe, o silencio. medo de friagem. mas é primavera, quase verão, tento convecê-lo: saia de mim. e ele se esconde cada vez mais fundo, mais dentro, atras do pulmão.
deixa eu aqui, é quentinho...
eu rio. olho a vida lá fora e deixo o silêncio abrigar-se em mim, pois sei que quando eu precisar ele também me cederá seu pulmão.

10 comentários:

Mme. A. disse...

mudou mesmo ou é só figura de linguagem?

beijo

alias, acho que minha irma vai viver em joinville. se nao tiver se mudado ou se morar perto, acho que vai ser mais facil de eu te ver com mais frequencia. afinal de contas, amigo escritor e cool eh dificil de encontrar no mundo.

saudade enorme.

Maeles Geisler disse...

dias cinzas demais.
aqui o sol vive dentro
aquece meu corpo.
descogela.

Abraços amigo
Sentirei saudades
Maeles

Lisa Alves disse...

aqui tudo permanece cinza e as vezes ouço o céu em prantos. Marcas de um tempo novo, de breves revelações...

Cássio Amaral disse...

bem escrito brother.

tem um haikai meu que diz:

muitas vozes/não dizem/o melhor do silêncio.

abraço.

Í.ta** disse...

maravilhoso, rubens.

um momento. um recorte.
um silêncio.

adorei!

parabéns.

clotilde zingali disse...

que bonitinho o meu amigo :))entendi vc tão direitinho... beijo querido, volte logo

Fa menor disse...

O silêncio se esconde até debaixo da pele. ou na sombra de um olhar.

Bjos

Alex Pinheiro disse...

Exercícios de advinhação,,, profecias,,, misticismo... Sei lá, acho mesmo que o silêncio é bem chato, :)

Abraços e sociais invenções!

£zterliu disse...

Gostei das suas coisas... alinhavadas com delicado fio. Vou linkar você lá no pancada de vento... espero sua visita. Abraço!

Fundação Cultural Jornalista Osvaldo Lima disse...

Estão abertas até o dia 15 de novembro de 2009 as inscrições para o XI FestCampos de Poesia Falada, realizado pela Prefeitura de Campos dos Goytacazes-RJ, através da Fundação Cultural Jornalista Oswaldo Lima (FCJOL).

O objetivo é abrir espaço na cidade para que poetas e atores de todo o Brasil possam criar e mostrar seus talentos na arte de escrever e interpretar.

As 20 poesias classificadas para a final serão apresentadas no dia 4 de dezembro. A premiação total é de R$ 11.000,00. Regulamento e ficha de inscrição
aqui.