19 agosto 2009

Tragédias breves e anônimas IV


Enterrou a esposa no fundo do quintal há dois anos. Colheu ontem as primeiras tangerinas. Admirou-se com a doçura. A natureza é mesmo estranha, como pode dar tangerinas tão doces quando o adubo era de uma azedume só?

8 comentários:

L. Rafael Nolli disse...

Olá, Rubens. Duas belas séries de poemas encontro aqui hoje. Tudo certeiro, no ponto. Abraços.

Cris disse...

Isso muito me lembra Janela Secreta, Mort Rainey e as grandes espigas de Milho.

jorge vicente disse...

o azedume...

grande abraço
jorge vicente

Cármen Neves disse...

Olá, profunda estas linhas.Abraços.

Regina Carvalho disse...

Canibalismo por tabela?
Cada uma que inventas, hehehe...
bj

Valéria C. disse...

a terra talvez é que fosse, naturalmente, boa!
beijo

Cláudio B. Carlos (CC) disse...

Muito bom!

Ricardo Valente disse...

Magnífico, mesmo com terra boa...