05 agosto 2009

Capítulo VIII

tudo se verdiferencia
ao amanhecer

a mãe antes de retirar a água do poço
olha a si mesma lá embaixo

desmanchada imagem de mulher
culpa desordem calafrio

joga o balde
puxa a água
bebe a largos goles

Olha ao redor
o filho ajoelhado diante dos porcos

é Deus pródigo pedindo perdão

2 comentários:

Cláudio B. Carlos (CC) disse...

Cena forte no último verso.

Pqp!


Abraço.

Maeles Geisler disse...

joelhos machucados

a água lavará as culpas

o filho e a mãe

sicratizados

abraços