02 julho 2008

Palavras emprestadas 10 - Frederico Mira George

AQUI é possível conhecer um dos mais impressionantes poetas portugueses da atualidade
Frederico Mira George

Emprestei dele esse poema, pois há muito não lia algo tão intenso


fechou-se o palco com um actor lá dentro
fecharam-se as cadeiras
as luzes
os alfabéticos-pirilampos
baixou o lustre com os grandes e os
pequenos cristais de quartzo
correu a cortina de ferro
fechou-se o palco com um actor lá dentro
nesta casca de ovo o actor
respirou
enfim
por fim
até ao fim
e silenciou-se numa espécie de chão
e madeira
lembro assim o actor que foste
e as horas que passo sem ti
hoje
dia em que também estou fechado no ovo
respiro o fumo que deixaste do último cigarro
e é de um corpo triste e derrotado
que faço a minha vitória

Frederico Mira George

Um comentário:

TMara disse...

seu texto "espera" transmite forte e bem intensa a espera em situações similares. arrepia-nos.
Vim visitar a casa onde se "pára". Pintada, luminosa como a clareza crua das palavras.
A imagem escolhida é forte, densa, feroz talvez, mas também ela crua na crueza do humano viver por todo o lado. vim a ler. desde o topo até aqui.e há vozes que nos silenciam porque a alma se nos silencia para ouvir e sentir.
Bjs ___________________________________
____________Luz e paz em teu caminhar________________gostei e continuo a sentir-me bem.
____________por isso vou ficando por aqui ____________ qnd o tempo dá_________pq sendo o tempo uma construção acaba nos comandando as rotinas. As necessárias 1º____________ as desejadas depois ou mais depois do k desejamos, pensamos e queremos..........