17 junho 2008

Vestígios de um Sinônimo

Inspirado numa idéia do Enzo
A esposa o chamou: Marcos, vem foder comigo! Agora!

Ele dirige e ri. Só não consegue rir da paixão secreta que ele e a esposa sentem por Moisés.
Moisés é seu irmão, irmão gêmeo.

Marcos, com algum custo, casou-se com Sílvia. Moça pobre, desprovida de maiores encantos físicos, mas simpática e atrevida na cama. Vai ser boa esposa, disse o pai, e depois como você vai arranjar coisa melhor? Iria casar porque tinha que casar.
A esposa ao ser apresentada ao cunhado reluziu. Lindo teu irmão. A partir dali Marcos teve a certeza: amaria o irmão via esposa.

Chega em casa. Despe-se. Sílvia dança encostada na parede. Segura uma foto. Alisa-a contra os seios, entre as pernas, lambe a foto. A foto do teu irmão e eu fodendo agora de manhã. Olha. Marcos ajoelha-se para pegar a foto. Ajoelha mais. A esposa pisa sobre sua cabeça. Ele chora sobre a foto do irmão. Eu tinha que estar no teu lugar, eu tinha que ter Moisés colado em mim, sobre mim, debaixo de mim, ao meu lado, mais que irmão, mais que amante, eu tinha que ser Moises, ser ele, ser ele, não podia ser eu, tinha que ser ele. Silvia levanta o marido. Provoca-o com palavras duras e doces. Pára de se lamentar, você tinha um encontro marcado comigo, então, vem me comer, vem misturar tua porra com a do teu irmão dentro de mim, vem ser o que ele foi há menos de duas horas. Seja homem de verdade Marcos, fode comigo como se você tivesse fodendo com teu irmão, como se ele tivesse fodendo aqui com a gente.

E Marcos se engrandece, possui a esposa, o irmão, a si próprio, com voragem pouco vista em homem.

E Silvia ama ser amada pelos dois, ou por um só, já não sabe mais.

E a felicidade se manifesta plena numa tarde de segunda-feira.

9 comentários:

Camila Pimenta disse...

"fode comigo como se você tivesse fodendo com teu irmão"
nossa Poeta, penetrante isso... muito... suei lendo...

bjos Poeta

Enzo Potel disse...

uau!
textura de filme pornô!
então... inveja é afrodisíaco?!!
adorei a sua ideia deles serem gêmeos, o negócio entra mais ainda na natureza humana.

Abração Henry James de Joinville!

Bruno Bertacini disse...

Rubens,
Parabéns, eu acho que vc já percebeu pelo meu blogue que gosto de literatura erótica. Gostei da força da esposa que humilha o marido, então a partir daí, ele torna-se macho...
abraço.

Cláudio B. Carlos (CC) disse...

Gosto do humano, sem maquiagem. Muito bom!

Grande abraço,

*CC*

Enzo Potel disse...

gente, eu reli, só agora percebi como ficou maravilhoso o texto.
Entre um ponto e outro cabem outras narrativas, mas você esnoba o tempo, então é preciso reler várias vezes para sentir todas as relações.. marcos/moisés, silvia/moisés, silvia/marcos, marcos/moisés (via silvia), silvia/moisés (via marcos). nooooooooooossa!
publica!!!

Enzo Potel disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Enzo Potel disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Í.ta** disse...

muito bem construído, rubens!

parabéns pela densidade e controle do escrito.

obrigado por nos proporcionar estas "n" leituras.

abraços.

Anônimo disse...

Um texto muito doido.
Um pequeno texto, mas um conto imenso.Um conto fantástico.
Fatima.