05 dezembro 2007

espanto e suor
brasaquimera
a sola do pé arde

caminharei destinado
às surpresas de ser homem

é tarde em dezembro
no sangue
estiagem e saudade



Rubens da Cunha

5 comentários:

isabel mendes ferreira disse...

só me apetece "praguejar"....:)



raios, é "podre" (neologismo meu para dizer super.muito) de bom!





beiiiiiiiiiiiiiijo.

Suzana Mafra disse...

lindo
parece um flamboyant
na janela

beijo!

. disse...

Uma tarde que, aqui no interior paulista, esturrica corpos e sentimentos...

Abraços e novas invenções!

Vanildo Danielski disse...

Indefinível e marcante. Esses versos ficarão incrustados na minha alma atônita, caro Rubens.

http://espelhodeareia.blogspot.com
http://vanildosd.spaces.live.com

anjo disse...

"caminharei destinado
às surpresas de ser homem"

lembrou-me muito os versos das músicas de Vitor Ramil.

abraços,
Í.ta**