08 março 2007

Palavras Emprestadas 4

Pensando bem, eu sou feliz porque posso ler a perfeição.

Penúltimo capítulo de Quincas Borba, por Machado de Assis.

"Poucos dias depois morreu... Não morreu súbdito, nem vencido. Antes de principiar a agonia que foi curta, pôs a coroa na cabeça, - uma coroa que não era, ao menos, um chapéu velho ou uma bacia, onde os espectadores palpassem a ilusão. Não, senhor; ele pegou em nada, levantou nada e cingiu nada; só ele via a insígnia imperial, pesada de ouro, rútila de brilhantes e outras pedras preciosas. O esforço que fizera para erguer meio corpo não durou muito; o corpo caiu outra vez; o rosto conservou porventura uma expressão gloriosa.
- Guardem a minha coroa, murmurou. Ao vencedor...
A cara ficou séria, porque a morte é séria; dois minutos de agonia, um trejeito horrivel, e estava assinada a abdicação."

4 comentários:

A Gata por um Fio disse...

Machado de Assis é magnífico...bjus
Já saiu o resultado do Concurso de Relatos de Viagem ...leia os ganhadores lá no Blog...

Claudio Eugenio Luz disse...

Acaso ele não existisse, teriamos que inventá-lo.

hábraços

tania disse...

Realmente, Rubens, esta é uma situação a qual eu fugiria, direto, se me fosse dado o direito de optar. Como não posso, procuro não olhar pro rosto dela, nem sequer ter uma idéia. É trauma? Deve ser, mas ajo desta forma.E olha que já trabalhei isto em mim.
"A morte é séria". Será? UUUUUUi...
bjos

maria disse...

a morte é uma coisa cheia de véus e grande é a vontade de ver através deles. às vezes.