14 dezembro 2005

manhãquase


paredes escondem
meus estardalhaços
visgo e espasmo
desenham totens de vento
sob o lençol
eu escolhi este duro alisamento
este carinho de mãos ásperas


Rubens da Cunha
Ilustração: Victor Belém

7 comentários:

solitarylagoon disse...

carinho que destrói, não é carinho

seu amigo disse...

Você é nas mãos daqueles que, usando-se pesquizadas das fraquezas no Internet:

1.- Seduzem
2.- Debilitate e annul a sua vítima
3.- Captação dos computadores assim e o que não pode apresentar his, o dejánjdolo a você "amarrou-os",
4.- o alvo que persecute, SR..Rubens. é SEU INTELLECT e SUA CRIAÇÃO. a fim dispersar-se por Internet e atrai outros incautos.
5.- Você é "um gancho".
6.

Livrar-se.
É um sect.
Têm-lhe girado hoje para um escravo


Um amigo que o considere.

Mendes Ferreira disse...

"este carinho de mãos ásperas...."



bjo. mt. mt mt. bom.

Maria do Céu Costa disse...

"...eu escolhi este duro alisamento
este carinho de mãos ásperas"

Este caminho da arte, seja ela a que nivel for. Gostei. Beijinhos.

Claudio Eugenio Luz disse...

Poxa, como sempre mais um poema que soca a'lma e transtorna os sentimentos.

.
hábraços,claudio

Cláudio B. Carlos (CC) disse...

Bom!

Helena disse...

"paredes escondem meus estardalhaços " um soco na alma como disse o claudio eugênio.

beijos,

Helena