13 fevereiro 2017

cruzes

o acaso assoma-se
e soma
aslfato
sangue
atropelos
desordens de ossos
último respiro
depois
a morte amadeirada das cruzes
a indiferença dos acostamentos
e o silêncio desencostado dos passantes

Nenhum comentário: