28 novembro 2009

Uma vida em 13 degraus

A vida é uma escada. A minha escada teve 13 degraus. Sangue, pus, babas, espermas, lágrimas, merdas, mijos e demais líquidos meus e dos meus. Todos mancharam-me os degraus, deram-me algum afinco, algum motivo. Nos próximos 13 dias vocês me lerão aqui resumido.

Aviso aos sensíveis: não foi uma vida fácil, como também não será fácil me conhecer...


Primeiro Degrau:
Eu condenava. Criança percebi isso: eu condenava. No primeiro degrau, as asas dos butucões, dos marimbondos, as cabeças dos besouros, as manchas alegrinhas e insuportáveis das joaninhas e borboletas. Eu condenava. Cada bichoinseto que eu via e conseguia capturar, requintadamente eu açoitava, depois espetava-lhes finos alfinetes, até que parassem de se mexer. Criança eu sabia que o treino deveria começar cedo, deveria começar pelo ínfimo, para depois alargar-se até o máximo, até o humano, quem sabe...

6 comentários:

Í.ta** disse...

promete essa escada, promete.

acompanharei.

grande abraço.

Território Nenhum disse...

Que algoz. O primeiro degrau é a subida ao cadafalso.ahahaha

abraço, espero galgar os próximos.

Ana Cristina Cattete Quevedo disse...

Cada um tem o algoz que merece.
E cada um é responsável pelas vítimas que faz.
Acompanharei curiosa :)

Ricardo Valente disse...

O 1 tá bom...

douglas D. disse...

Rubens, qualquer comentário que eu faça será pouco...

douglas D. disse...

lá no vomitando, o que tua poesia arrancou, feito grito, de mim.