20 julho 2008

Quebra de Rotina

- Não Matarás. - Disse o pai ao filho - É um pecado demasiado para tua alma.
- Hi! Agora já matei.
- Então, não desperdiçarás. - Retrucou a mãe canibal, ainda não acostumada às novas moralidades do marido.

6 comentários:

Cassiane Schmidt disse...

Olá, que delicioso blogue encontrei por aqui! Voçê não apenas escreve, voçê celebra a palavra, do que é feita a tinta de sua caneta???

enzo póte disse...

nossa, blog de cara nova, ficou demaaaaaaaaaaais!!

Alex Pinheiro disse...

haha,,,
Quando somos uma moralidade comum e osmótica...
Falando nisso, qual será o gosto da carne humana ein?!!!

E vamos de cores mais claras para refletir melhor nossa alma...

Abraços e sociais invenções!

Fernando Rozano disse...

mais daqueles textos contundentes e viscerais, instigantes e ricos. grande, Rubens. grande texto. abraços.

regina disse...

Continuas inigualável. Não vou perguntar, como Cassiane, de que é feita a tinta de tua caneta (genial!), mas quantos pregos ou espinhos habitam as teclas do teu comp...
bj

Ricardo Valente disse...

Muito bom, louco. Hiiii man. Abraço!