09 dezembro 2005

Noite



vasculho
embaixo das unhas
no lado direito da virilha
entre o segundo e terceiro dedo

não encontro o desejo

mas sei que me tremem seus odores
em mim são visíveis
seus muitos atalhos de cobra

por isso empenho os olhos na procura
por isso tenho a alma cega


® Rubens da Cunha
Ilustração: Alfredo Luz

4 comentários:

Claudio Eugenio Luz disse...

Eita, desejos ocultos. Mesmo às cegas, queremos tocar.

.
hábraços,claudio

TMara disse...

qnd procuramos demais com os sentidos exteriores acontece n/ encontrar o k por estes n/ é visívelpor ser de outro...reino. bom f.s
B
j
o
c
a
s
de luz e paz

Dona Estultícia disse...

Desatino na procura...Bjos.

Cláudio B. Carlos (CC) disse...

Olá Rubens!

Gostei do poema.


Abraços do CC.